21 de junho de 2021

Pets no inverno: saiba como proteger cães e gatos dos perigos do frio

Se preferir, ouça a matéria:

Agora é oficial: o frio chegou. Junto com as baixas temperaturas também surgem alguns perigos para a saúde de cães e gatos. Por isso, é importante redobrar alguns cuidados com os pets no inverno.

Em primeiro lugar, providenciar roupinhas e cobertores é o mais importante. Pois assim seu pet se mantém quentinho mesmo quando você não está por perto. Mas preste atenção para avaliar se ele curte ficar de roupa. Alguns animais não se adaptam ao acessório. Por isso, o ideal é deixar mantinhas, cobertores e até casinhas em forma de toca espalhados pela casa.

SAIBA MAIS: 6 DICAS PARA DEIXAR SEU PET PROTEGIDO DO FRIO

Além disso, cuidados com a alimentação, passeios e até a higiene do pet devem ser observados neste período de frio. A seguir, falamos mais sobre isso.

Como cuidar dos pets no inverno

Gatos e cachorros não têm a mesma sensação térmica dos humanos, é fato. Por isso os cuidados com os pets no inverno precisam ser redobrados, já que não há como saber exatamente se eles estão sentindo o mesmo frio que a gente. 

Felinos e caninos reagem de maneira semelhante ao frio, pois a temperatura corporal deles é bem próxima, sendo 38ºC a dos cães e 39ºC a dos gatos. Porém, alguns sinais são comuns às duas espécies para identificarmos quando eles precisam se aquecer.

 

Pets no inverno

 

Entre os principais sinais que indicam que seu pet está com frio estão coriza, secreção nos olhos e no nariz, lentidão para caminhar e passar mais tempo dormindo, normalmente com o corpo enroladinho. Falando especificamente dos gatos, se as patas e orelhas estiverem geladas pode ser um sinal de que estão com frio. Já no caso dos cães, alguns podem apresentar tremores quando as temperaturas ficam muito baixas.

De forma geral, tanto se você tem um gato como um cão em casa, os cuidados incluem ainda não deixar que eles fiquem próximos a portas e janelas que se mantêm abertas, principalmente enquanto dormem.

Cuidados com os cães no inverno

Além das roupinhas, cobertores e casinhas mais quentinhas, os cães precisam de outros cuidados para se sentirem quentinhos e evitar os problemas de saúde que surgem no inverno.

Entre eles está a frequência dos banhos e da tosa. Os cães não precisam parar de tomar banho só porque está frio. O ideal é que durante o inverno a frequência diminua. Além disso, deve-se evitar que os banhos aconteçam em dias muito frios. Em relação ao horário, deve-se escolher sempre aqueles onde o sol está mais forte. A temperatura da água também deve ser observada, deve estar morna e não quente, pois a alta temperatura pode desidratar a pele do cachorro.

Já os cães que passam por tosas frequentes, podem ficar peludinhos por mais tempo. Principalmente se já são idosos, ficam bastante tempo na área externa da casa ou têm algum problema de saúde.

Cuidados com os gatos em dias frios

Diferente dos cães, os gatos nem sempre curtem a ideia de usar roupinhas. Neste caso, você não deve insistir, pois isso só vai estressar o animal. Uma alternativa para manter os felinos aquecidos é colocar algumas cobertas espalhadas pelos ambientes onde ele circula. Ou ainda, providenciar caminhas em forma de tocas, pois os gatos gostam de ficar entocados.

Além disso, a hidratação dos felinos deve ser observada nesse período. Afinal, essa espécie precisa de mais incentivo para ingerir água e, com o frio, isso é ainda mais importante. Por isso, distribua potinhos de água pela casa, ofereça ração úmida e sachês com mais frequência e, se possível, providencie fontes de água que despertam a atenção dos gatinhos.

SAIBA MAIS: EVITE QUE A GRIPE EM CÃES E GATOS SE TRANSFORME EM PNEUMONIA

 

Pets no inverno

 

Principais doenças que podem atingir os pets no inverno

O primeiro passo para proteger os pets no inverno é manter a vacinação, a vermifugação e o controle parasitário em dia. 

Além disso, assim como acontece com os humanos, o frio favorece o aparecimento de doenças respiratórias em cães e gatos. Entre elas, as mais comuns são gripe e pneumonia.

No caso dos cães, a traqueobronquite infecciosa, também chamada de gripe canina, é altamente contagiosa. Sua transmissão acontece por meio dos potes de ração e  água. Por isso, se você tem mais de um cãozinho em casa, todos precisam estar protegidos com a vacina específica para essa doença.

No caso dos gatos, a vacinação também pode evitar quadros de gripe felina. As vacinas V3 e V4 protegem contra os gatos da rinotraqueíte e calicivirose, doenças relacionadas ao trato respiratório.

Tosse e febre também podem surgir nesta época do ano. Nestes casos, é preciso procurar o Médico Veterinário para avaliar o quadro de saúde do pet e indicar o melhor tratamento.

Porém, se o animal estiver com gripe e ela não for tratada, a doença pode evoluir para pneumonia. Isso pode colocar a vida dos pets em risco.

© LABGARD SAÚDE ANIMAL BE220