9 de maio de 2020

Mudança na rotina dos pets: atenção ao surgimento de alergias

Se preferir, ouça a matéria:

Se você precisou mudar seus hábitos e, com isso, a rotina dos pets também foi alterada, é preciso ficar de olho no comportamento e na saúde deles. Afinal, cães e gatos podem demonstrar algumas emoções, assim como os humanos. 

Existe até uma lei, no estado de Santa Catarina, que garante aos pets o reconhecimento de seres sencientes, que possuem sensações como dor e angústia. Dessa forma, são identificados como sujeitos de direito.

Uma das consequências mais comuns que a mudança na rotina dos pets pode trazer é o surgimento de estresse e queda de imunidade. Com isso, podem ocorrer algumas alergias inespecíficas. Essas reações podem ser desencadeadas por vários fatores, além da mudança na rotina. Eles vão desde a perda de alguém da família ou de outros animais que convivem na mesma casa até alterações do ambiente, como modificações na decoração.

SAIBA MAIS: VEJA AS INFECÇÕES DE PELE MAIS COMUNS EM DE CÃES E GATOS E COMO TRATAR

A seguir, falamos mais sobre como a alteração nos hábitos, a falta de passeios e até a privação de espaço podem desencadear alergias.

Principais sintomas da mudança na rotina dos pets

A falta de passeios pela rua pode causar diversas reações em cães e gatos. Alguns pets demonstram mais sensibilidade e podem apresentar mudanças no comportamento, como ansiedade, estresse e depressão. Como resultado, podem desencadear algumas reações. Por exemplo, mordidas nas patas ou lambidas excessivas no pelo. Caso perceba algum comportamento diferente em seu animalzinho, consulte o Médico Veterinário.

SAIBA MAIS: ANIMAIS ESTRESSADOS – SAIBA IDENTIFICAR OS SINTOMAS E TRATAR

Inicialmente, esses atos podem não representar perigo. Porém, se realizados com frequência, por vezes, podem levar ao aparecimento de piodermite, uma infecção bacteriana. Por isso, sempre que houver o mínimo de mudança que altere a rotina dos pets é importante ficar de olho também em sua saúde dermatológica.

Dicas de prevenção e tratamentos das alergias 

Se por causa do isolamento os pets passam mais tempo dentro de casa, é preciso garantir alguns minutos de contato com o ambiente externo. Afinal, espaços pequenos, com menos ventilação e luminosidade do que estavam acostumados também são gatilhos para dar início a alergias. Principalmente os que fazem passeios frequentes na rua.

Mudança na rotina dos pets

Para evitar que isso aconteça, mesmo com a mudança na rotina dos pets, é importante que alguns hábitos sejam continuados. Se os passeios em praças e parques não podem mais acontecer encontre alternativas. Escolha um horário de menos movimentação e faça uma caminhada curta nas proximidades de sua casa. 

Mas, se mesmo assim alguma alergia dermatológica for percebida, o primeiro passo é levar o pet para uma consulta com o Médico Veterinário. Somente este profissional é capaz de analisar o quadro do animal. E ainda fazer um diagnóstico preciso e indicar o tratamento mais seguro.

Em casos de afecções alérgicas comprovadas, um dos tratamentos que o especialista pode prescrever é com anti-inflamatório esteroidal, como a dexametasona. Este medicamento é base do Dexagard, que possui ação antialérgica e age também nos casos de eczema de origem sistêmica e atópica. 

Como voltar a sua rotina sem prejudicar a saúde dos pets

Na volta à rotina que se tinha antes do isolamento social também é importante observar a saúde dos pets. Já que eles terão de enfrentar uma nova mudança, com mais tempo longe dos tutores e outros hábitos retomados.

Mudança na rotina dos pets

Com isso, podem desenvolver alguns sintomas como a sensação de abandono e isso levar ao surgimento de ansiedade e depressão. O mais importante quando tudo voltar ao normal é que o pet esteja em um ambiente seguro e limpo. Também deve ter acesso a comida e água suficientes até você retornar.

Caso a sua retomada às atividades já esteja próxima de acontecer, veja essas dicas que vão auxiliar a treinar seu pet para uma nova separação.

– Em primeiro lugar, coloque os brinquedos dele em outro cômodo da casa e não fique junto

– Em seguida, escolha alguns momentos do dia para ficar em um ambiente onde o pet não tenha acesso a você

– Por fim, faça testes de distanciamento. Saia para o lado de fora da casa ou apartamento e fique alguns minutos longe da visão do pet. Observe se nesse período ele late, mia ou chora. Nos dias seguintes, aumente o tempo fora gradualmente.

© LABGARD SAÚDE ANIMAL BE220