21 de setembro de 2020

Alergia ao pólen: como proteger os gatos durante a primavera

Se preferir, ouça a matéria:

Assim como para muitos humanos, a chegada da primavera pode trazer uma série de problemas respiratórios para os gatos. Um deles é a alergia ao pólen, que nesta época do ano se prolifera pelo ar. No entanto, a boa notícia é que ela pode ser controlada e tratada.

Mas antes de falar sobre isso, é preciso dizer que esta alergia pode surgir ao longo de toda a vida do animal, dos filhotes aos idosos. No entanto, é mais comum entre aqueles que estão entre 1 e 3 anos de idade. Ela possui origens diferentes, pode ser genética, em raças com mais predisposição, ou hereditária, passada do pai ou da mãe para os filhotes.

Por isso, se o seu gatinho espirra ou se coça muito nesta época do ano, esse conteúdo pode ajudar você.

SAIBA MAIS: CONHEÇA AS REAÇÕES ALÉRGICAS MAIS COMUNS EM GATOS E COMO TRATAR

E você sabe o que é uma alergia? Essa é uma doença que se manifesta quando o sistema de defesa, tanto de humanos como dos pets, reage ao entrar em contato com determinadas substâncias alérgicas. Dessa forma, surgem outras doenças, como as dermatites atópicas. Elas não são contagiosas e geralmente têm sua causa no pólen, ácaros ou fungos. Desta vez, vamos falar apenas de como o contato com o pólen pode ser perigoso para os felinos.

Alergia ao pólen

A seguir, veja os sinais mais comuns que seu gato pode apresentar quando sofre com alergia ao pólen. Em sequência, descubra como o tratamento pode ser feito.

Principais sintomas para alergia ao pólen

Os sintomas que apresentamos a seguir são os mais comuns que podem se manifestar nos felinos. No entanto, outros fatores podem contribuir para que reações diferentes se manifestem e agravem o quadro. Entre eles, a principal é a quantidade de alérgeno à qual o gato é exposto. Isso porque, durante a primavera a quantidade de pólen no ar é bem maior que em outros períodos do ano.

  1. Pele avermelhada e com edemas
  2. Coceira intensa no nariz, olhos e na pele
  3. Esfregadas do corpo em tapetes ou móveis 
  4. Espirros
  5. Tosse
  6. Coriza
  7. Secreção ocular
  8. Diarreia e vômito em alguns casos

Além disso, a associação da alergia ao pólen com outros tipos da doenças podem mudar o quadro. Isso porque diminui sua imunidade, deixando o organismo desprotegido e permitindo o agravamento dos sintomas. Calor em excesso, estresse e depressão, quando associados à alergia, também podem aumentar as coceiras.

Tratamentos mais indicados

Uma das formas de prevenir que a alergia ao pólen se intensifique nos gatinhos nesta época do ano, é aumentar a frequência dos banhos. Assim o contato do pet com o causador da alergia diminui. Também é indicado escovar o pelo do gato sempre depois que ele tiver contato com o ambiente externo. Além de evitar que pó se acumule dentro de casa.

Se o seu gato apresentar algum desses sinais, procure o Médico Veterinário. Ele irá avaliar a saúde do pet para confirmar se o quadro é mesmo de alergia ao pólen.

Caso o diagnóstico seja positivo, existem alguns tratamentos que podem ser feitos, de acordo com a prescrição do especialista. Isso inclui o uso de shampoos e sprays dermatológicos que oferecem alívio temporário e ajudam a reduzir sintomas como o da coceira intensa. Além de antialérgicos específicos para uso dos pets.

Alergia ao pólen

Na linha dos shampoos, o Dermagard pode ser utilizado como tratamento. Ele é indicado para as principais dermatopatias em felinos e pode ser usado ainda em casos de seborreia, dermatites e piodermites profundas.

Riscos e benefícios das plantas para os gatos

Além da alergia ao pólen, outras plantas podem representar riscos para a saúde dos felinos. Por isso, é importante manter os pets longe dessas espécies que são tóxicas para eles. Confira.

Plantas tóxicas para os gatos

  1. Antúrio
  2. Azaléia
  3. Bico-de-papagaio
  4. Copo-de-leite
  5. Comigo-ninguém-pode
  6. Espada-de-São-Jorge
  7. Hortênsia
  8. Lírio
  9. Mamona
  10. Violeta

Caso identifique ou desconfie que seu pet ingeriu ou teve contato com alguma dessas plantas, procure o Médico Veterinário imediatamente.

Mas não se preocupe, não são todas as plantas ou flores que oferecem riscos ao seu gatinho. Algumas, inclusive, são terapêuticas, como o catnip. Também chamada de erva-do-gato, é uma plantinha mentolada que já virou sensação entre os felinos.

SAIBA MAIS: O QUE É E QUAIS OS EFEITOS DA ERVA-DO-GATO

Essa planta tem como principal característica acalmar pets estressados e agressivos. Mas também pode ser usada para dar uma movimentada na rotina daqueles que são mais apáticos e precisam de energia.

Além dessa, existe uma série de outras plantas, entre flores e ervas, que os gatinhos adoram e não fazem mal para sua saúde. Confira.

Plantas que não apresentam riscos para os felinos

  1. Camomila
  2. Amor-perfeito
  3. Alcaçuz
  4. Girassol
  5. Petúnia
  6. Hortelã
  7. Coentro
  8. Alecrim
  9. Citronela
© LABGARD SAÚDE ANIMAL BE220