26 de abril de 2017

Giardíase: mantenha cães e gatos livres desta doença

Muito comum entre cães e gatos, a Giardíase é uma doença que deve ser combatida periodicamente. Causada por um protozoário, ela afeta o intestino dos animais e pode ser transmitida entre eles e para os humanos. É uma zoonose presente em várias partes do país, principalmente onde há precariedade nas condições sanitárias e de salubridade.

Portanto, a prevenção é a melhor forma de combater a Giardíase e está condicionada aos bons hábitos de higiene. Lavar as mãos após ir ao banheiro e antes das refeições, limpar o ambiente onde seus animais transitam e descartar as fezes deles no vaso sanitário ou no lixo orgânico são essenciais para proteger também sua família.

SAIBA MAIS: LEISHMANIOSE – PREVENÇÃO E SINTOMAS

A contaminação acontece através da ingestão dos cistos eliminados pelas fezes dos animais no solo, água, alimentos ou para os pelos dos pets. Assim que ingeridos, estes cistos originam trofozoítos que colonizam o intestino delgado do hospedeiro, se reproduzem, se transformam em cisto e são eliminados pelas fezes.

Além disso, o período de incubação do protozoário é de uma a quatro semanas e a doença nem sempre apresenta sintomas. E quando surgem, se manifestam em diarreias, cólicas abdominais, fezes com sangue, perda de peso e/ou fraqueza.

Tratamento contra giardíase: Vermegard

Para tratamento, os vermífugos são os remédios mais indicados pelos médicos veterinários. Desenvolvido pela Labgard, o Vermegard, é o único produto no mercado com a fórmula Febendazol + Praziquantel e, por isso, o mais adequado para fazer a rotação de vermífugos e evitar a resistência dos vermes a outros princípios ativos utilizados. Além de combater a Giárdia sp., também é indicado para tratamentos e controle de parasitoses causadas por vermes redondos e chatos que acometem o trato gastrointestinal nos animais.

SAIBA MAIS: VERMÍFUGOS – OS PETS PRECISAM DELES

A fórmula do Vermegard apresenta larga margem de segurança, o que permite a administração às fêmeas prenhas ou no período de amamentação para evitar a transmissão transplacentária dos parasitos para os filhotes.

Mesmo com o tratamento é preciso atenção para evitar a reinfecção do animal. Além da higiene permanente do seu pet, do ambiente onde ele transita e de sua casa, manter consultas periódicas com o veterinário e as vacinas de seu pet em dia são essenciais para garantir a saúde de todos.

© LABGARD SAÚDE ANIMAL