3 de maio de 2019

Dor e inflamação em bovinos: como evitar perdas na produção leiteira

Quando se trata dos animais de grande porte, a relação entre gado, ambiente e patógenos deve ser equilibrada. Caso isso não aconteça, a resposta é o aparecimento de doenças que geram impactos negativos e comprometem a produtividade, como os quadros de dor e inflamação em bovinos, principalmente os leiteiros.

Dessa forma, é importante manter uma rotina de prevenção e controle das principais doenças inflamatórias. Isto porque o gado leiteiro que adoece com muita frequência reduz sua capacidade de produção.

SAIBA MAIS: COMO EVITAR A PARASITOSE PULMONAR EM BOVINOS LEITEIROS

Entre as doenças inflamatórias mais prejudiciais estão as mastites infecciosas, doenças respiratórias, metrite séptica no pós-parto, diarreia neonatal e afecções podais. Sendo que as mastites são as que mais causam perdas de produtividade e econômicas.

 

Como prevenir o surgimento de mastites

A mastite está entre as doenças mais frequentes e de maior impacto econômico dos rebanhos leiteiros. Ela se caracteriza por um processo inflamatório nas glândulas mamárias das vacas, causado por microrganismos. Por isso, cuidados com o ambiente onde o gado fica alojado, com a qualidade da alimentação e com a saúde são essenciais.

Algumas medidas básicas que podem ser adotadas para que a qualidade da produção não seja prejudicada são:

– Disponibilizar camas sempre limpas e secas para o rebanho;

– Manter a área de produção sem sujeira e umidade;

– Garantir o conforto térmico dos animais para evitar estresse;

– Realizar tratamento antisséptico antes da ordenha;

– Fazer higienização dos tetos antes da ordenha, que devem estar limpos e secos antes da colocação dos equipamentos;

– Higienizar frequentemente utensílios e equipamentos utilizados para ordenha;

– Descartar os primeiros jatos de leite para observar a qualidade do produto e identificar qualquer alteração de cor ou presença de coágulos e grumos.

SAIBA MAIS: DESCUBRA O QUE É MASTITE BOVINA E COMO FAZER O TRATAMENTO

Além disso, é importante que os produtores mantenham o rebanho com o acompanhamento especializado de médicos veterinários. Também devem estar sempre atentos à qualidade do ambiente onde o gado está alojado. Isso é necessário para identificar sintomas que possam indicar tanto a mastite quanto outros quadros de dor e inflamação em bovinos.

 

Como identificar quadros dor e inflamação em bovinos

A avaliação da saúde do gado leiteiro deve ser feita no dia a dia e também periodicamente pela avaliação de um médico veterinário. Na rotina das propriedades, é preciso atenção para alguns sinais como:

– Dificuldade de movimentação;

– Febre;

– Apatia;

– Perda de apetite;

– Perda de peso;

– Desidratação;

– Isolamento do resto do rebanho;

– Diminuição da produção de leite;

– Postura envergada ou caminhar manco.

SAIBA MAIS: SINTOMAS E TRATAMENTOS PARA INFECÇÃO NOS OLHOS DE BOVINOS E OVINOS

 

Indicação de tratamento para dor e inflamação em bovinos

O tratamento das doenças que causam dor e inflamação em bovinos pode ser realizado com a administração de anti-inflamatórios e antimicrobianos. Entre as opções disponíveis no mercado está o Tetrapen PPU, uma solução injetável pronta para uso.

O medicamento é um antimicrobiano e bactericida de ação prolongada. Sua formulação possui um processo chamado de micronização que evita a aglomeração do medicamento, reduz o risco de entupimento na seringa e facilita a absorção.

Em casos específicos para tratamento das inflamações causadas por mastites, a linha Mast-Best, da Labgard, também é indicada. O medicamento deve ser aplicado via intramamária e está disponível em duas versões, Mast-Best S e Mast-Best L. O primeiro deve ser administrado em animais no período seco. Já o segundo, é específico para vacas em lactação.

Durante o tratamento, que deve ser feito sob orientação de um médico veterinário, o leite produzido pelas fêmeas que recebem a medicação não deve ser utilizado para consumo.

 

 

© LABGARD SAÚDE ANIMAL